Não faz mais que sua obrigação

Ontem me deparei com uma situação corriqueira que me levou a refletir… Ao buscar o filho, na sala de aula, que andou com uma queda no rendimento a mãe perguntou como ele estava, e eu respondi que estava ótimo (e realmente apresentou grande evolução). E ela naturalmente emendou: “Não faz mais do que a obrigação!” Vamos tentar inverter os papéis: Um vendedor quer muito uma promoção, trabalha em dobro, se esforça, consegue bater a meta antes que seus colegas e chega feliz para contar para o chefe a sua conquista e o chefe lhe responde: “Não fez mais do que a obrigação!” Uma equipe médica que está há meses tentando descobrir porque estão morrendo crianças na UTI neonatal, e uma das médicas descobre a bactéria que causou a morte e o resto da equipe fala: “Não fez mais do que a obrigação!”. Um “muito obrigado”, “parabéns” de coração é o mínimo que se espera de pessoas desconhecidas que estão a nossa volta no momento das nossas conquistas. Mas negamos isso a quem amamos tanto, nossos filhos! Todos nós temos a necessidade de ver nossos esforços reconhecidos, todos nós queremos ser aceitos e admirados e muitas vezes damos nosso sangue para isso, e com as crianças não é diferente. Tenho aluno que vem mostrar o mesmo dever 10 vezes (não é exagero) só para eu dizer que está lindo, eu preciso estabelecer regras para me mostrar o dever só no final, ou quando tem dúvida, porque se eu elogio um aluno, logo a fila se forma. O elogio é um carinho para os ouvidos, é o maior estímulo para que ele continue a estudar, faça com zelo, com capricho. Muitas vezes, comparamos o desenho, o exercício pelo padrão do adulto, queremos os traços “dentro da linha”, queremos uma “perfeição”, que muitas vezes nós não temos, uma letra cursiva impecável, de uma geração que vai escrever a mão cada vez menos (é bem provável que meu filho nem leve caderno para o Ensino Médio). Mas o que a criança fez foi uma avanço enorme para o padrão dela, foi alcançado pelo esforço dela, e deve ser reconhecido. Se você quer um filho estimulado, com gosto pelos estudos, parabenize-o pelo esforço que ele fez. Trate-o como você gostaria que seu chefe o tratasse! Um parabéns, pode não ser nada para você, mas pode ser o diferencial entre o seu filho querer fazer o próximo dever ou fazer porque não é mais do que a sua obrigação!

Por Albertisa Teles- Coach, Practitioner em PNL, Educadora, Mãe, Mulher e Feliz!

5 visualizações

Assine e receba Informações

Telefone: (61) 3011-2591

  • Facebook BSB Coaching
  • YouTube
  • Instagram

©2019 by BSB Coaching